0 O Destino e o Melhor Charuto do Mundo - Blog do Rodrigo - 1000 dias

O Destino e o Melhor Charuto do Mundo - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

O Destino e o Melhor Charuto do Mundo

Cuba, Havana, Pinar del Rio

Plantação de tabaco em Pinar del rio, no oeste de Cuba

Plantação de tabaco em Pinar del rio, no oeste de Cuba


O início do dia de hoje foi uma correria! Nossa ideia era simples: alugar um carro e seguir para a região de Pinar del Rio, especialmente Viñales, uma das regiões com a natureza mais bela de Cuba, com suas montanhas e cavernas. Mas, quanto mais planejamos, mais o destino teima em dizer que é ele quem manda!

Casa da Margarita em Havana - Cuba

Casa da Margarita em Havana - Cuba


Simplesmente não se encontrava carros para alugar na cidade. Estamos em período de alta aqui em Cuba e os carros estão esgotados para os próximos dias. Carro econômico, então, nem pensar! Mesmo que houvesse, o tempo de aluguel mínimo seria de uma semana. E nós viajamos depois de amanhã, de volta ao México. Depois de passarmos numas cinco lojas (o dono é sempre o mesmo, claro! O Estado!), a única coisa que tinha aparecido era um furgão. Achamos meio exagerado... Pela central da Cubacar, que teoricamente tem acesso à todas as lojas, nada havia disponível. Quem sabe, com muita sorte, depois das três da tarde, se houvesse alguma desistência. E lá se ia nosso penúltimo dia inteiro no país. Desesperador!

Despedida da 'outra' Margarita, em Havana - Cuba

Despedida da "outra" Margarita, em Havana - Cuba


Finalmente, desistimos do carro e resolvemos ir de ônibus mesmo. Quem sabe em Viñales não encontrássemos um carro para explorar a região? O problema maior seria a volta, coordenar o ônibus com o horário do avião. Bem, mas não tínhamos mais escolha, já era meio dia e o tempo passava. Lá fui eu para a rodoviária da Via Azul, caminhada rápida de 2 km enquanto a Ana arrumava nossas coisas em casa.

Uma das casonas no bairro de Miramar, em Havana - Cuba

Uma das casonas no bairro de Miramar, em Havana - Cuba


Mas o destino continuou a pregar suas peças. Não é que, na frente da estação da Via Azul tinha uma loja da Cubacar com um carro médio para ser alugado?!? Mas a minha vida não seria fácil assim não! O pagamento tinha de ser parte em dinheiro (o seguro e o combustível adiantado) E, claro!, eu não tinha dinheiro! Caixa eletrônico, nenhum por ali. A Cadeca (as casas de câmbio) mais próxima estava a menos de um quilômetro. Para lá fui correndo, para descobrir que estava fechada para almoço. Felizmente, deveria abrir em alguns minutos. Passados dez minutos da hora prevista para a reabertura, fui informado que a casa estaria fechada até segunda...

Plantação de tabaco em Pinar del rio, no oeste de Cuba

Plantação de tabaco em Pinar del rio, no oeste de Cuba


Pois é, o destino brincava comigo, indo e voltando. Eis que apareceu um cubano muito simpático procurando uma Cadeca também. Dirigia um sidecar, aquela moto com um carrinho do lado. Ofereceu uma carona para mim até a próxima Cadeca e lá fui eu, me sentido num filme de nazistas (sempre associo sidecars a filmes sobre a Alemanha nazista), devidamente vestido com capacete e conversando com o novo amigo. Ele não só me levou até a Cadeca como me levou de volta à Cubacar onde, finalmente, consegui o carro. Viva!

Tabaco, típico em Pinar del Rio, no oeste de Cuba

Tabaco, típico em Pinar del Rio, no oeste de Cuba


A Ana, que já me esperava ansiosa trazendo passagens de ônibus, ficou surpresa e felicíssima ao me ver sobre quatro rodas. Era um pouco antes das três quando finalmente nos despedimos da Margarita (a outra, que trabalha para a Margarita dona da casa) e começamos a deixar Havana para trás. Saindo pelo outro lado da cidade, passando dessa vez pelo elegante bairro de Miramar, completamente diferente de tudo o que tínhamos visto até agora na capital cubana. Avenidas largas e arborizadas, casas grandes, hotéis luxuosos, é em Miramar que estão várias das embaixadas, as casas dos expatriados e da pequena elite cubana, geralmente ligada ao partido ou grandes sucessos do esporte ou cultura. Uma outra cidade!

Visitando a fazenda do melhor tabaco e charuto de Cuba, de Hector Luis, em Pinar del Rio, no oeste de Cuba

Visitando a fazenda do melhor tabaco e charuto de Cuba, de Hector Luis, em Pinar del Rio, no oeste de Cuba


Miramar ficou para trás e chegamos à autopista que liga Havana à Pinar del Rio. Nossos planos, (ahhn, sempre os planos!) eram de seguir diretamente para Viñales. Mas o destino (ahhn, sempre o destino!) tinha suas próprias ideias. Vinte minutos antes de chegarmos ao desvio que nos levaria à Viñales, alguém pede carona na estrada. Será um guarda? Na dúvida, paro. É apenas um caronista. Bom, já que paramos e temos espaço, não há porque não dar a carona. Para ele e também ao seu amigo. Conversa vem, conversa vai, descobrimos que ele trabalha na fazenda que produz o melhor tabaco e charutos de Cuba na atualidade. Insiste muito que a visitemos. Insiste que a visita seja hoje. Nos receberia o próprio dono da propriedade, o mais jovem “Hombre Habano” da história. Esse é um título dado pelo governo cubano apenas às pessoas com grandes feitos em pró da indústria. No mundo, hoje, há umas cinco pessoas vivas com o título.

Folhas de tabaco em secagem dentro da casa-secadouro, em Pinar del Rio, no oeste de Cuba

Folhas de tabaco em secagem dentro da casa-secadouro, em Pinar del Rio, no oeste de Cuba


Diante disso, mandamos nossos próprios planos às favas. Deixamos o desvio à Viñales para trás, atravessamos Pinar del Rio e seguimos vinte quilômetros adiante, até a Finca Hector Luis. Toda a região é tomada por plantações de tabaco, lindas. Chegamos um pouco antes das cinco e, para decepção do nosso amigo, não podemos entrar na Finca naquele momento. Ocorre que, justo naquele momento, Hector atendia ao principal homem do governo para assuntos de Tabaco. A mais importante feira de charutos do mundo ocorrerá em três dias, em Havana, e o tal figurão está aqui combinando e checando coisas com o Hector (por coincidência, meu amigo do sidecar em Havana me falou muito desse congresso. Disse que vêm muitos brasileiros, presidentes dos clubes de charuto de várias capitais brasileiras).

Folha de tabaco já seca para ser enrolada em charuto, em Pinar del Rio, no oeste de Cuba

Folha de tabaco já seca para ser enrolada em charuto, em Pinar del Rio, no oeste de Cuba


Nosso caronista insiste pelo rádio, na entrada da Finca. Vem a resposta: voltem um pouco mais tarde que serão sim recebidos!. Aproveitamos o tempo para almoçar num pequeno pueblo da região. Um pouco depois das seis, dia quase virando noite, somos recebidos pelo simpaticíssimo Hector. Ele nos conta um pouco da história de sua família, de sua finca e da cultura do tabaco. É um dos raros casos de fincas particulares no país comunista. A área não é grande e 80% da produção é vendida, obrigatoriamente, ao governo. A finca foi do seu pai e antes, do seu avô. A cultura e as técnicas vem de gerações. Explica parte de seu segredo: “A terra aqui é dura, não é a melhor para o tabaco. Na Nicarágua ou na Rep. Dominicana, há terras melhores. Mas é exatamente essa dureza que faz o tabaco crescer forte. O que não mata, fortalece!”

Processo de secagem e prensagem de folhas de tabaco, em Pinar del Rio, no oeste de Cuba

Processo de secagem e prensagem de folhas de tabaco, em Pinar del Rio, no oeste de Cuba


Após degustarmos um delicioso charuto, seguimos para um tour, já no escuro, pelas instalações onde se processa o tabaco. Eles nos explicaram todo o processo de colheita e secagem das folhas, como se faz para retirar quase toda a nicotina do tabaco e, finalmente, como se enrola um “puro”. Processo cuidadoso e complexo como fazer um bom vinho. Foi uma aula e tanto. E uma experiência inesquecível!

Teto repleto de folhas de tabaco, em Pinar del rio, no oeste de Cuba

Teto repleto de folhas de tabaco, em Pinar del rio, no oeste de Cuba


Bom, depois desse banho do destino sobre os nossos planos, resolvemos esquecer deles de vez e dormirmos em Pinar mesmo. Amanhã cedo seguimos para Viñales para um dia de explorações e dormimos por lá mesmo. No dia 27, vamos para Havana em tempo de devolver o carro e irmos para o aeroporto (a própria Cubacar nos levará lá, bem mais barato que um táxi)

Folhas de tabaco sendo secadas em Pinar del Rio, no oeste de Cuba

Folhas de tabaco sendo secadas em Pinar del Rio, no oeste de Cuba

Cuba, Havana, Pinar del Rio, charuto, tabaco

Veja todas as fotos do dia!

Comentar não custa nada, clica aí vai!

Post anterior Sorriso depois do delicioso almoço na Playa de La Boca, ao final da Playa Santa Lucía, no costa nordeste de Cuba

Adiós, Padrinos

Post seguinte Admirando a bela região de Viñales, no oeste de Cuba

Viñales

Blog da Ana Plantação de tabaco em Pinar del rio, no oeste de Cuba

Pinar del Rio e o Tabaco

Comentários (3)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 22/01/2016 | 01:30 por Marcelo Barbosa

    tb fui pra viñales! pena que em grupo de turismo, c/ onibus fechado! fui numa caverna e tb num restaurante que tinha um gde afresco numa montanha!
    e claro, visitei uma fabrica de run, antes de chegar a cidade, e um sitio desses de tabaco, onde fumei e comprei um maço dos campesinos!

  • 16/01/2015 | 11:01 por Magá

    Olá....

    Algum contato do sr. Hector Luis ou do seu "novo amigo"? Quero muito conhecer uma produção, mas com tão pouco tempo estou tentando deixar tudo programado, mesmo sabendo que o "destino" pode mudar tudo, auahuaha...

    Resposta:
    Oi Magá

    Infelizmente, não temos o contato. Mas essa parte de Cuba é realmente muito bela (Vinales). Ter um carro ajuda muito e acho que não será difícil vc encontrar fazendas de tabaco para visitar. Corra antes que os americanos cheguem, agora que o Obama abriu as porteiras. Cuba nunca mais vai ser a mesma, hehehe...


    Abs

  • 28/03/2013 | 11:08 por Rovian

    Excelente o post, parabéns!!!

    Resposta:
    Olá Rovian

    Que legal que tenha gostado! Nós demos uma sorte danada, um presente do destino, de termos tido a chance de ir a esse lugar. Tudo o que podíamos fazer era tentar compartilhar esa experiência e aprendizado com vcs.

    Um grande abraço

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet