0 Litoral Paranaense e o Triatlo de Caiobá - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Litoral Paranaense e o Triatlo de Caiobá - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Litoral Paranaense e o Triatlo de Caiobá

Brasil, Paraná, Caiobá

O belo nascer-do-sol em Matinhos, litoral do Paraná

O belo nascer-do-sol em Matinhos, litoral do Paraná


Nosso plano original era seguir diretamente da Ilha do Mel para Curitiba, ponto de chegada dos nossos 1000dias. Mas um convite de última hora mudou esses planos. Meu primo Haroldo estaria competindo em uma prova de triatlo hoje de manhã, dia 6, em Caiobá. Para quem não conhece o Paraná, Caiobá é a mais concorrida praia da classe média paranaense. Na verdade, é um bairro da cidade de Matinhos, mas é quase tratada como se fosse uma cidade.

O primo Haroldo pronto para mais um triatlo, agora em Caiobá, litoral do Paraná

O primo Haroldo pronto para mais um triatlo, agora em Caiobá, litoral do Paraná


Era uma segunda coincidência que não poderíamos desperdiçar. Para quem nos acompanha, há de se lembar de que, quando estávamos viajando pelo Chile, encontramos esse mesmo primo participando de uma prova de triatlo na cidade de Pucón. Naquela ocasião, chegamos “atrasados”, apenas no final do dia em que a prova foi realizada. No dia seguinte, subimos juntos o vulcão Vilarrica (post aqui), mas ficamos em ver a prova. Agora, aqui tão perto de casa e do fim da viagem, uma nova chance apareceu e resolvemos aproveitá-la. Com isso, teríamos a oportunidade de percorrer por inteiro a longa praia que forma boa parte do litoral do estado.

A região dos balneários praianos do Paraná se espreme entre as baías de Paranaguá, ao norte, e Guaratuba, ao sul, e praticamente dividem uma única e longa praia

A região dos balneários praianos do Paraná se espreme entre as baías de Paranaguá, ao norte, e Guaratuba, ao sul, e praticamente dividem uma única e longa praia


Pois é, o litoral do Paraná é marcado por duas grandes baías. Paranaguá, ao norte, onde está a Ilha do Mel, e Guaratuba, ao sul. São baías praticamente sem praias. Apenas a região entre elas é que forma praias. Na verdade, uma praia, no singular mesmo. São quase 40 km de areia ininterrupta entre Pontal do Sul, de onde tomamos o barco para a Ilha do Mel, e Matinhos, onde está Caiobá.

Os balneários mais conhecidos do litoral paranaense, todos praticamente na mesma e longa praia. Nós passamos por Atami, no norte, e seguimos até Caiobá e Prainha, no sul

Os balneários mais conhecidos do litoral paranaense, todos praticamente na mesma e longa praia. Nós passamos por Atami, no norte, e seguimos até Caiobá e Prainha, no sul


Essa vasta praia é ocupada por diversos bairros, ou balneários, como são chamados aqui. É como se cada pedaço da praia tivesse personalidade e vida próprias. No verão, todos esses “pedaços” de praia ficam abarrotados de veranistas, quase todos da capital e do interior do estado. É o verdadeiro, ou pelo menos, o conhecido litoral paranaense. E por aí resolvemos seguir nessas horas derradeiras dos 1000dias.

Como sempre, muito bem recebidos na casa da família da Laura no Balneário Atami, litoral do Paraná

Como sempre, muito bem recebidos na casa da família da Laura no Balneário Atami, litoral do Paraná


Uma amiga da Patrícia, a mãe da Ana, emprestou um apartamento em Caiobá e nós resolvemos já dormir lá na noite do dia 5, pois essas provas de triatlo costumam começar bem cedo e não chegaríamos a tempo de ainda dormíssemos na Ilha do Mel. Por isso, pegamos a última barca do dia 5, no final da tarde, e reencontramos a Fiona no estacionamento de Pontal do Sul. Daí para a primeira parada foram menos de 10 minutos. Afinal, só fomos até Atami, o primeiro dos balneários para quem vem do norte.

O belo nascer-do-sol em Matinhos, litoral do Paraná

O belo nascer-do-sol em Matinhos, litoral do Paraná


O Atami é talvez o mais chique desses balneários. Construído de maneira ecológica, com regras rígidas de proteção ao meio ambiente e loteamento padronizado para casas de alto padrão. É um bairro agradabilíssimo e de frente ao mar. Quem tem casa aí é a família da Laura que, junto com o marido Rafael, tantas vezes nos visitou ao longo dos 1000dias. Por exemplo, estiveram conosco em Cuba e no Havaí. Aliás, foram eles também que casaram aqui na Ilha do Mel e nos fizeram vir da Argentina para a cerimônia, pois éramos padrinhos! Agora foi a chance de, pelo menos simbolicamente, retribuirmos essas visitas. A família toda estava lá e nos recebeu muito bem. Foi uma delícia de fim de tarde. Só não ficamos para dormir por causa da prova de triatlo.

Todos prontos para a largada do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

Todos prontos para a largada do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


Concentração dos atletas antes da largada do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

Concentração dos atletas antes da largada do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


E assim, depois das despedidas, dirigimos pelos quase 40 km de praia e balneários até Matinhos e Caiobá, já quase na baía de Guaratuba. Somente em Caiobá, ao longo do verão, são 1,5 milhões de frequentadores. Mas agora, em período normal, não passam de 15 mil habitantes. Nesse final de semana um pouco mais, pois a prova de triatlo também atrai gente. Aliás, Caiobá se tornou a sede da mais tradicional prova do triatlo do estado e uma das mais concorridas do país: o Triatlo do Sesc, disputado na categoria olímpica. Mas hoje era uma outra prova, mais longa. Nós dormimos o mais cedo que pudemos pois, de madrugada, último dos 1000dias, já estávamos de pé. Bem a tempo de assistir e fotografar a um magnífico nascer-do-sol.

Atletas largam e correm para o mar, para a primeira etapa do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

Atletas largam e correm para o mar, para a primeira etapa do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


Atletas largam e correm para o mar, para a primeira etapa do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

Atletas largam e correm para o mar, para a primeira etapa do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


Atletas fazem a parte de natação do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

Atletas fazem a parte de natação do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


Depois, foram algumas horas agradáveis assistindo ao triatlo, em uma de suas versões mais longas. Foram 1.800 metros de natação, 90 quilômetros de bicicleta e mais 21 quilômetros de corrida. Prova para super homens e super mulheres. Entre eles, meu primo e sua equipe, todos terminando a prova com louvor.

Terminada a parte da água, o Haroldo se veste para a parte de ciclismo do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

Terminada a parte da água, o Haroldo se veste para a parte de ciclismo do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


Pronto para começar a pedalar no triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

Pronto para começar a pedalar no triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


Assistir à provas de triatlo sempre é emocionante. Desde a concentração da largada até o esforço e empenho estampado na cara dos atletas em cada uma das etapas da prova. A natureza ajuda bastante também, ver a multidão de atletas entrando na água do ao mesmo tempo em que o sol está nascendo e a música de estímulo tocando nos autofalantes, a vontade é entramos juntos.

Metade dos 90 kms de bicicleta já se foram no triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

Metade dos 90 kms de bicicleta já se foram no triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


A parte de corrida do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná

A parte de corrida do triatlo de Caiobá, litoral do Paraná


Enfim, foi assim que começamos o último dia da nossa longa viagem pelo continente. Ambiente e estilo de vida mais saudáveis do que nunca. Agora, depois da prova, das felicitações e despedidas, só nos restam seguir os menos de 100 kms que nos separam de Curitiba. Depois de 175 mil kms percorridos pelo continente, o que são mais 100 kms?

Com os atletas que terminaram o triatlo de longa distância de Caiobá, litoral do Paraná

Com os atletas que terminaram o triatlo de longa distância de Caiobá, litoral do Paraná

Brasil, Paraná, Caiobá, Praia

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior O farol visto do alto do Morro do Sabão, na Ilha do Mel, no litoral do Paraná

Despedida da Querida Ilha do Mel

Post seguinte Recepção de amigos na entrada de Curitiba

O Fim dos 1000dias. Ou não?

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet