0 Interagindo com Animais - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Interagindo com Animais - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Interagindo com Animais

Geórgia Do Sul, Gold Harbour

Com os pinguins rei de Gold Harbour, na Geórgia do Sul, ainda com as vestimentas do caiaque

Com os pinguins rei de Gold Harbour, na Geórgia do Sul, ainda com as vestimentas do caiaque


A primeira regra que aprendemos antes de desembarcar nas áreas selvagens das Malvinas, Geórgia do Sul e Antártida é como devemos nos comportar com relação aos animais da região. Ao contrário dos animais selvagens das outras regiões do planeta que já conhecem bem o ser humano e acham por bem fugir de nós (por que será, hein?), os animais aqui do sul do planeta não nos veem como uma ameaça e, portanto, encontros com eles são bem comuns. E quando isso acontece, como devemos proceder?

Visita à fantástica Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Visita à fantástica Gold Harbour, na Geórgia do Sul


Bom, a regra é bem simples. Foi definida consensualmente por todos os agentes envolvidos com a exploração turística da Antártida, além de organizações científicas e ecológicas. Os turistas não devem se aproximar a menos de 3-4 metros de animais como pinguins, albatrozes e filhotes de elefantes e lobos marinhos. Para animais maiores, o próprio bom senso já nos mantém um pouco mais afastados. Quando atingimos essa distância, devemos parar e esperar. Podemos ficar lá observando e fotografando a vontade, desde que o animal não se sinta incomodado com isso. Caso isto ocorra, devemos nos distanciar um pouco.

Cenário inspirador para uma pintura, em Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Cenário inspirador para uma pintura, em Gold Harbour, na Geórgia do Sul


Visita à fantástica Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Visita à fantástica Gold Harbour, na Geórgia do Sul


O duro é conter nossos instintos de querer logo pegar um pinguim no colo ou acariciar um filhote mais fofo de elefante-marinho. Os guias estão sempre de olho em nós para nos “ajudar” a não esquecer essa regra de ouro. Essa e a outra de que os animais tem sempre preferência de tráfego. Assim, quando vamos cruzar com uma fileira de pinguins em sentido transversal, devemos parar e esperar que eles passem. Normalmente, a fila de pinguins caminha de forma muito ordenada e, ao nos ver, titubeiam um pouco. Mas quando percebem que estamos esperando pela passagem deles, logo retomam o passo.

Interagindo com um pequeno elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Interagindo com um pequeno elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul


Brincando com um filhote de elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul (foto de J P Salakari)

Brincando com um filhote de elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul (foto de J P Salakari)


A única maneira de nos aproximarmos ainda mais desses simpáticos e destemidos animais é quando a decisão de chegar ainda mais perto parte deles. Quer dizer, nós não podemos caminhar até eles, mas eles podem sim caminhar até nós. A gente não precisa se afastar quando isso acontece. Ficamos parados e deixamos que eles matem sua curiosidade, examinando-nos de perto, nos tocando e cheirando.

Interagindo com um pequeno elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Interagindo com um pequeno elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul


Olhando de perto um preguiçoso elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Olhando de perto um preguiçoso elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul


Pois bem, foi isso mesmo que aconteceu aqui em Gold Harbour hoje. Esse lugar maravilhoso, o tal éden que descrevi no post passado cercado de uma paisagem majestosa, ainda nos presenteou com o contato mais “íntimo” que tivemos com essa fauna que não teme os humanos. Pinguins e filhotes de elefantes marinhos se aproximaram e brincaram conosco, em um dos momentos mais especiais da viagem até agora. Até mesmo os gigantescos machos da espécie não se importaram com poses mais próximas de nossas fotografias. Foi espetacular!

Observando os turistas começarem a voltar para o Sea Spirit, em Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Observando os turistas começarem a voltar para o Sea Spirit, em Gold Harbour, na Geórgia do Sul


Chegando perto da cachoeira em Gold Harbour, na Geórgia do Sul (foto de John Pairaudeau)

Chegando perto da cachoeira em Gold Harbour, na Geórgia do Sul (foto de John Pairaudeau)


Foi nosso último desembarque aqui na Geórgia do Sul. Não poderia ter sido mais especial. Começou com o caiaque ao lado dos elefantes-marinhos e abaixo da incrível geleira, continuou com as batalhas titânicas entre os machos por fêmeas e território e terminou com essa interação com a fauna, mais perto do que nunca. Por fim, ainda como um último suspiro, ao irmos embora de volta ao Sea Spirit, os zodiacs ainda nos levaram para mais perto da geleira e da cachoeira. Sem fôlego, voltamos ao nosso barco, já com saudades da Geórgia do Sul e ansiosos pela Antártida. Aliás, essa ilha incrível ainda nos reserva uma última atração: um passeio de barco por um extenso fiorde cercado de geleiras colossais e milenares por todos os lados. A nossa tarde promete...

Observando os filhotes de elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Observando os filhotes de elefante-marinho na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul

Geórgia Do Sul, Gold Harbour, Praia, Bichos, Pinguim, elefante marinho

Veja todas as fotos do dia!

A nossa viagem fica melhor ainda se você participar. Comente!

Post anterior Filhotes de elefantes-marinhos brincam na praia de Gold Harbour, na Geórgia do Sul

A Descoberta do Éden

Post seguinte Um belo iceberg proveniente das gigantescas plataformas de gelo da Antártida cruza nosso caminho na entrada do Drygalski Fjord, na Geórgia do Sul

Icebergs, Fiordes e Geleiras

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet