0 Elefantes Tranquilos, Lobos Bravios e Pinguins Sem Frio - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Elefantes Tranquilos, Lobos Bravios e Pinguins Sem Frio - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Elefantes Tranquilos, Lobos Bravios e Pinguins Sem Frio

Geórgia Do Sul, Stromness, Grytviken

Uma enorme fêmea de elefante-marinho descansa em Grytviken, na Geórgia do Sul

Uma enorme fêmea de elefante-marinho descansa em Grytviken, na Geórgia do Sul


No post anterior, tratei da triste história da caça e quase extinção das baleias aqui nos mares do sul. Caminhar pelas ruínas de Stromness e Grytviken nos fez pensar muito sobre isso. Mas nem só do passado vivem essas ruínas de antigos postos baleeiros. De maneira nenhuma! No presente, elas se tronaram verdadeiros playgrounds da vida animal que, de alguma forma, já incorporaram esse estranho cenário às suas vidas cotidianas. Sorte de quem passa por lá e pode observar esse espetáculo.

Cruzando com um grupo de pinguins gentoo pouco antes de chegarmos a Stromness, na Geórgia do Sul

Cruzando com um grupo de pinguins gentoo pouco antes de chegarmos a Stromness, na Geórgia do Sul


Um ´pinguim gentoo nos observa enquanto caminhamos para Stromness, na Geórgia do Sul

Um ´pinguim gentoo nos observa enquanto caminhamos para Stromness, na Geórgia do Sul


Já um pouco antes de terminarmos nossa caminhada até Stromness, começamos a nos deparar com pinguins. Pela primeira vez, víamos pinguins na neve. Agora sim, aquela imagem de cartão postal que todos temos no nosso inconsciente sobre a Antártida se completava: pinguins se divertindo em um cenário todo branco de neve. A gente com nossas jaquetas, luvas e gorros e eles ali, se divertindo no solo branco de neve fresca. Acho que estavam matando a saudade!

Um pequeno grupo de poinguins rei no nosso caminho para Stromness, na Geórgia do Sul

Um pequeno grupo de poinguins rei no nosso caminho para Stromness, na Geórgia do Sul


Um pequeno grupo de poinguins rei no nosso caminho para Stromness, na Geórgia do Sul

Um pequeno grupo de poinguins rei no nosso caminho para Stromness, na Geórgia do Sul


Pela primeira vez também vimos as duas espécies quase juntas, gentoo e rei, os brancos e os amarelos. Definitivamente, os reis são maiores. Os branquinhos pareciam muito mais à vontade com a neve do que os amarelos. E eles estavam próximos, mas não se misturavam. Será que falam línguas diferentes?

Elefantes e lobos-marinho ocupam as ruínas de Stromness, antiga estação baleeira na Geórgia do Sul

Elefantes e lobos-marinho ocupam as ruínas de Stromness, antiga estação baleeira na Geórgia do Sul


Um lobo-marinho se ergue nas quatro patas, quase como um mamífero terrestre, em Stromness, na Geórgia do Sul

Um lobo-marinho se ergue nas quatro patas, quase como um mamífero terrestre, em Stromness, na Geórgia do Sul


Passados os pinguins, ficamos realmente impressionados com a quantidade de lobos-marinhos na praia de Stromness e também entre as ruínas. Eram dezenas e dezenas. Acho que preferem praias urbanizadas do que selvagens...

Na praia da antiga estação baleeira de Stromness, na Geórgia do Sul

Na praia da antiga estação baleeira de Stromness, na Geórgia do Sul


Um altivo lobo-marinho na praia de Stromness, na Geórgia do Sul

Um altivo lobo-marinho na praia de Stromness, na Geórgia do Sul


Eles realmente parecem não se incomodar com a presença dos pinguins e mesmo dos elefantes. Mas simplesmente não suportam outro da sua espécie por perto. A essa altura da viagem, já aprendemos que são todos machos e que estão aqui para garantir um território amplo nas praias para atrair mais fêmeas. Essas, ainda não chegaram. Esperam que os machos “gastem” este excesso de testosterona entre eles para depois, com a praia já dividida, chegarem a se aboletarem num bom lugar.

Momento tenso entre dois lobos-marinhos na praia de Stromness, na Geórgia do Sul

Momento tenso entre dois lobos-marinhos na praia de Stromness, na Geórgia do Sul


Dois lobos-marinhos se enfrentam na praia de Stromness, na Geórgia do Sul

Dois lobos-marinhos se enfrentam na praia de Stromness, na Geórgia do Sul


Hoje assistimos a várias brigas entre eles. Existe todo um ritual que antecede as vias de fato e muitas vezes um dos lobos, o menor, logo percebe que não tem chances e nem entra no combate. Mas quando dois do mesmo tamanho se encontram, ou um deles é um baixinho invocado, aí não tem remédio: vai ser mordida para os dois lados. Tudo começa com olhares atravessados, avança para a gritaria, chega ao auge com as mordidas e se acalma com um dos lobos, com o rabo entre as pernas, batendo em retirada.

Dois lobos-marinhos se enfrentam na praia de Stromness, na Geórgia do Sul

Dois lobos-marinhos se enfrentam na praia de Stromness, na Geórgia do Sul


Lobos-marinhos se mordem durante uma briga na praia de Stromness, na Geórgia do Sul

Lobos-marinhos se mordem durante uma briga na praia de Stromness, na Geórgia do Sul


Assistimos também um lobo que nadava para lá e para cá, a agua gelada perecendo uma banheira tépida para ele. Procurava um lugar na praia, mas estavam todos ocupados. Ele parecia querer se encher de coragem para poder conquistar seu pedaço também. Seria por bem ou por mal. Mas antes disso, um delicioso e refrescante mergulho.

Um lobo marinho nada nas águas geladas de Stromness, na Geórgia do Sul

Um lobo marinho nada nas águas geladas de Stromness, na Geórgia do Sul


Um lobo marinho nada nas águas geladas de Stromness, na Geórgia do Sul

Um lobo marinho nada nas águas geladas de Stromness, na Geórgia do Sul


Um lobo marinho nada nas águas geladas de Stromness, na Geórgia do Sul

Um lobo marinho nada nas águas geladas de Stromness, na Geórgia do Sul


Já os elefantes, agora que a estação já está terminando, estão muito mais tranquilos. Dormem, descansam, bocejam, dormem. Algumas vezes, a barulheira de dois lobos os faz abrir os olhos. Aproveitam para dar mais um bocejo, espreguiçam, dão uma coçadinha na barriga, jogam areia sobre si mesmos e fecham os olhos novamente. Os sonhos devem ser mais interessantes do que a realidade.

Um elefante-marinho descansa em meio às ruínas de Stromness, na Geórgia do Sul

Um elefante-marinho descansa em meio às ruínas de Stromness, na Geórgia do Sul


Elefante-marinho descansa em Grytviken, na Geórgia do Sul

Elefante-marinho descansa em Grytviken, na Geórgia do Sul


Elefante-marinho descansa em Grytviken, na Geórgia do Sul (foto de Marla Barker)

Elefante-marinho descansa em Grytviken, na Geórgia do Sul (foto de Marla Barker)


Ali em Stromness o movimento era tanto que acho que até eles estavam um pouco incomodados, para padrões “elefantinos”. Mas quando chegamos a Grytviken, aí o encontramos em todo o seu “esplendor dorminhoco”. Ainda mais que havia um pouco de sol para esquentá-los e uma graminha para fazer a cama mais confortável. E, para melhorar, não havia lobos barulhentos ao redor. Apenas esses estranhos humanos para tirar uma foto aqui e outra ali. Mas eles vão embora rápido e o sono voltará a ser tranquilo.

Elefante-marinho descansa em Grytviken, na Geórgia do Sul (foto de Fance Dionne)

Elefante-marinho descansa em Grytviken, na Geórgia do Sul (foto de Fance Dionne)

Geórgia Do Sul, Stromness, Grytviken, Bichos, Pinguim

Veja todas as fotos do dia!

Comentar não custa nada, clica aí vai!

Post anterior Praia repleta de lobos-marinho em Stromness, na Geórgia do Sul

Cidades-fantasma e as Pobres Baleias

Post seguinte O Dave traz mais passageiros de volta ao Sea Spirit, depois de visita a Stromness, na Geórgia do Sul

De Stromness Para Grytviken

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet