0 Dirigindo Pelo Sul da Islândia - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Dirigindo Pelo Sul da Islândia - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Dirigindo Pelo Sul da Islândia

Islândia, Skogafoss, Hjorleifshofdi

Uma típica vila islandesa do sul do país, enconstada em uma montanha com uma bela cachoeira no quintal! (a caminho de Skaftafell)

Uma típica vila islandesa do sul do país, enconstada em uma montanha com uma bela cachoeira no quintal! (a caminho de Skaftafell)


Após deixarmos Vestmannaeyjar e tomarmos o ferry de volta à Islândia no início da tarde, dirigimos quase 250 km através do sul do país até o Parque Nacional de Skaftafell, onde chegamos já nas últimas luzes do dia. A razão para tanta demora não poderia ser melhor: a grandiosidade de uma paisagem absolutamente fantástica que nos fazia parar a todo momento para fotografar ou simplesmente admirar o mundo que nos cercava.



Primeiro foram as cachoeiras que começaram a aparecer. Uma aqui, outra ali, até que chegamos a mais famosa delas por essas bandas: a poderosa Skógafoss. Mais larga, alta e com muito mais água do que as cachoeiras que tínhamos visto anteriormente, Skógafoss mereceu que parássemos por ali, para poder caminhar até ela para tirarmos nossas fotos e prestarmos nossas reverências.

Uma das muitas cachoeiras que margeiam a estrada no sul da Islândia

Uma das muitas cachoeiras que margeiam a estrada no sul da Islândia


Chegando à cachoeira de Skogafoss, no sul da Islândia

Chegando à cachoeira de Skogafoss, no sul da Islândia


Com 60 metros de altura e 25 metros de largura, a cachoeira está hoje a 5 km da costa. Mas há uns poucos milhares de anos, a costa era aqui. Mas o material trazido por geleiras e erupções empurrou o mar muito mais ao sul e as encostas das antigas falésias viraram um verdadeiro celeiro de cachoeiras. Tão imponente é esta, a Skógafoss, que foi escolhida como cenário para o filme de Thor, o Mundo das Sombras.

A imponente Skogafoss, no sul da Islândia, uma das mais famosas e belas cachoeiras do país

A imponente Skogafoss, no sul da Islândia, uma das mais famosas e belas cachoeiras do país


A imponente Skogafoss, no sul da Islândia, uma das mais famosas e belas cachoeiras do país

A imponente Skogafoss, no sul da Islândia, uma das mais famosas e belas cachoeiras do país


E antes que as sombras nos alcançassem, seguimos nossa viagem para o leste. Passamos pela pitoresca cidade de Vik, a maior naquela parte do país, mas ainda bem pequena. Como todas as outras que encontramos no nosso caminho, parece um cartão postal, a igreja, um punhado de casas e a paisagem grandiosa ao fundo.

A pequena e simpática cidade de Vik, no sul da Islândia

A pequena e simpática cidade de Vik, no sul da Islândia


Aliás, a paisagem é sempre grandiosa, com ou sem cidadezinhas por perto. São sempre espaços enormes, horizontes infinitos, cores que parecem desenhadas ou pintadas, e não parte da realidade. Aliás, essa é a sensação: estamos viajando dentro de quadros, ou de fotografias da National Geographic. Uma atrás da outra!

Chegando a Hjorleifshofdi, uma baía que foi aterrada por erupções vulcânicas, perto de Vik, no sul da Islândia

Chegando a Hjorleifshofdi, uma baía que foi aterrada por erupções vulcânicas, perto de Vik, no sul da Islândia


Tentando avaliar se é possível ultrapassar o rio de carro, na região de Hjorleifshofdi perto de Vik, no sul da Islândia

Tentando avaliar se é possível ultrapassar o rio de carro, na região de Hjorleifshofdi perto de Vik, no sul da Islândia


Por indicação do nosso amigo islandês que conhecemos na Amazônia e reencontramos em Reykjavik, saímos da estrada principal e fomos conhecer uma região com o difícil nome de Hjörleifshöfdi. Fica exatamente nessa planície litorânea que foi criada nos últimos milhares de anos. Ali, já bem perto da costa atual, havia uma ilha que hoje foi engolida pela Islândia que cresce para o sul. Hoje, de ilha passou a ser um enorme rochedo. É ele que tem o nome de Hjörleifshöfdi e está cercado de histórias e lendas antigas.

A bela paisagem na região de Hjorleifshofdi perto de Vik, no sul da Islândia

A bela paisagem na região de Hjorleifshofdi perto de Vik, no sul da Islândia


Explorando a região de Hjorleifshofdi perto de Vik, no sul da Islândia

Explorando a região de Hjorleifshofdi perto de Vik, no sul da Islândia


Para chegar até lá, tivemos de botar nossa carrinho a prova. Afinal, saindo da estrada principal, a ring road, acaba o asfalto. E aqui, na planície litorânea, além das pedras, temos de enfrentar pequenos riachos e grandes poças. Com todo o cuidado (que saudade da nossa Fiona!), conseguimos chegar no rochedo, cheio de formações rochosas estranhas e cavernas criadas por uma antiga erosão do mar. Lugar ideal para mais fotos e também para admirar a vastidão que nos cercava..

O horizonte é sempre vasto no sul da Islândia (a caminho de Skaftafell)

O horizonte é sempre vasto no sul da Islândia (a caminho de Skaftafell)


Um outro caminho ainda mais rústico nos levaria de volta à estrada principal. Mas sem a Fiona, nada de arriscar mais do que já havíamos arriscado e tratamos de voltar pelo mesmo caminho. Depois, de volta à ring road, seguimos acelerados para o Parque Skaftafell, onde queríamos chegar antes de escurecer. Mas não teve jeito: tivemos de parar mais umas poucas vezes. A natureza ao nosso redor pedia... não, exigia isso. Por fim, as montanhas nevadas aonde nasce a maior geleira da Europa apareceram no horizonte e, pouco tempo depois, chegávamos ao nosso destino, com uma última parada para ver de pero o que havia sobrado de uma antiga ponte destruída pela natureza pouco convencional desse país.

O horizonte é sempre vasto no sul da Islândia (a caminho de Skaftafell)

O horizonte é sempre vasto no sul da Islândia (a caminho de Skaftafell)


Antiga ponte destruída na última erupção vulcânica, no sul da Islândia

Antiga ponte destruída na última erupção vulcânica, no sul da Islândia


Na noite de hoje, ainda tivemos esperanças de observar a aurora boreal. Uma semana antes, ela foi observada por aqui. Mas a lua, cada vez mais cheia, não nos ajudou muito. Parece que vamos mesmo ter de esperar até chegarmos ao Canadá e ao Alaska, em alguns meses. Enquanto isso, amanhã, vamos nos distrair com uma caminhada num colosso de gelo, a gigantesca geleira conhecida como Vatnajoekull.

Chegando à paisagem gelada do parque de Skaftafell, no sul da Islândia

Chegando à paisagem gelada do parque de Skaftafell, no sul da Islândia

Islândia, Skogafoss, Hjorleifshofdi, cachoeira, Estrada, Vik

Veja todas as fotos do dia!

Não nos deixe falando sozinhos, comente!

Post anterior Subindo o rochedo Heimaklettur, ao lado de Vestmannaeyjum,  na ilha de Heimaey, no sul da Islândia

Escravos Brancos e a Erupção

Post seguinte A bela e pitoresca cachoeira de Svartifoss, no parque de Skaftafell, no sul da Islândia

Svartifoss e o Parque Skaftafell

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet