0 Chegando em San Blás - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Chegando em San Blás - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Chegando em San Blás

Panamá, San Blás

Uma das ilhas paradisíacas do arquipélago de San Blás, na costa do Panamá

Uma das ilhas paradisíacas do arquipélago de San Blás, na costa do Panamá


As longas horas de navegação entre Cartagena, na Colômbia, e as ilhas de San Blás, na costa panamenha, não foram das mais fáceis. Especialmente para quem enjôa no mar, o que não é, felizmente, o meu caso. Mas é o caso da Ana e de alguns outras passageiros, que se mantém vivos à custo de muitas pílulas para enjôo.

Nosso quarto no veleiro que nos levou à San Blás, na costa do Panamá

Nosso quarto no veleiro que nos levou à San Blás, na costa do Panamá


Vista a partir do nosso quarto da parte interna do veleiro que nos levou da Colômbia para o Panamá

Vista a partir do nosso quarto da parte interna do veleiro que nos levou da Colômbia para o Panamá


O Lycka, nosso veleiro, é meio pequeno para as 8 pessoas que nele navegam. Mas, por apenas cinco dias, três deles no paraíso, a gente dá um jeito! Eu e a Ana ficamos com um quarto na ponta frontal do barco, com direito à teto solar mas também à muito balanço. O alemão e o espanhol dividiram o quarto que fica atrás do barco enquanto os australianos se acomodaram na sala/cozinha, onde sofás se transformam em camas. O capitão e a Glória se revezavam na ponte de comando, um deles sempre acordado para acompanhar a longa navegação de 40 horas.

Nem sinal de terra à vista no primeiro dia de navegação entre Cartagena (Colômbia) e San Blás (Panamá)

Nem sinal de terra à vista no primeiro dia de navegação entre Cartagena (Colômbia) e San Blás (Panamá)


Quando acordamos no dia 21, já não se via terra firme. E assim continuou até a manhã de hoje, dia 22, quando avistamos o Panamá continental e suas montanhas (enfim, a América Central!!!) e as ilhotas de San Blás. Ao longo do dia de ontem, nosso passatempo eram as gostosas refeições preparadas pela Glória, além de um rápido e sempre renovador encontro com golfinhos, esses animais mágicos que habitam todos os oceanos da Terra.

Golfinhos nos acompanham em mar aberto no primeiro e longo dia de travessia de veleiro de Cartagena (Colômbia) até o arquipélago de San Blás (Panamá)

Golfinhos nos acompanham em mar aberto no primeiro e longo dia de travessia de veleiro de Cartagena (Colômbia) até o arquipélago de San Blás (Panamá)


Fora isso, muita conversa para conhecer melhor nossos colegas de barco. O Andy, o alemão, está terminando uma viagem de 1 ano ao redor do globo. O australianos Ben está viajando pela América Latina e quer passar o reveillon no Rio de Janeiro. Encontrou seu amigo Alex (que vivia nos EUA) em Cartagena, para juntos viajarem pela América Central. O espanhol Johan veio passar uns dias com seu amigo catalão Marc, o nosso capitão. E a Glória já é "usera e vesera" dessas viagens pelos mares. Duas vezes já cruzou o Atlântico rumo à Europa e por aqui, acho que já fez essa travessia Colômbia-Panamá umas 100 vezes!

Hora do almoço, nossos companheiros no veleiro em San Blás, na costa do Panamá: um espanhol, um alemão e dois australianos

Hora do almoço, nossos companheiros no veleiro em San Blás, na costa do Panamá: um espanhol, um alemão e dois australianos


Bom, tivemos de enfrentar duas noites de muito balanço e calor para chegarmos ao paraíso. Na verdade, com o nosso teto solar, até que ficava fresco. O problema era quando começava a chover e tínhamos de fechar a janela do teto. Aí ficava tudo abafado, a gente suando e sem chance de tomar banho. Água doce no barco, só para beber e cozinhar, lavar frutas e os dentes. Banho, só de balde com água do mar! Mergulhos refrescantes, só em San Blás!

Banho de mar nas paradisíacas ilhas de San Blás, na costa do Panamá

Banho de mar nas paradisíacas ilhas de San Blás, na costa do Panamá


Relaxando numa das praias do arquipélago de San Blás, na costa do Panamá

Relaxando numa das praias do arquipélago de San Blás, na costa do Panamá


Mas o sacrifício valeu à pena e chegamos às primeiras ilhas desse arquipélago com quase 400 ilhotas, dez por cento delas habitadas pelos índios Kuna, os donos do pedaço. Ancoramos firmemente entre três pequenas ilhas e o dia de hoje foi gasto entre mergulhos refrescantes e explorações das ilhotas, nas quais se dá a volta em poucos minutos. Areia branquinha, parace até um creme, e muitos coqueiros. Tudo cercado por um mar calmo e de águas verdes e transparentes. Aquela típica imagem que temos do paraíso em nossos sonhos!

Indígenas Kuna, os habitantes das ilhas de San Blás, na costa do Panamá

Indígenas Kuna, os habitantes das ilhas de San Blás, na costa do Panamá


O Lycka, veleiro que nos levou até San Blás, na costa do Panamá, fotografado de debaixo d'água

O Lycka, veleiro que nos levou até San Blás, na costa do Panamá, fotografado de debaixo d'água


No lugar há outros poucos veleiros, inclusive um que vem no sentido contrário trazendo umas dez motos que viajam do México à Argentina. É, passar moto de um continente ao outro é muito mais fácil que passar carros... O pessoal que viaja neste barco, bem maior que o nosso, dividiu conosco uma das ilhotas no final da tarde. Ambs os grupos fazíamos um churrasco de celebração por termos chegado naquele lugar tão lindo.

Churrasquinho no fim de tarde em uma das ilhas de San Blás, na costa do Panamá

Churrasquinho no fim de tarde em uma das ilhas de San Blás, na costa do Panamá


Enfim, tivemos um dia maravilhoso e São Pedro realmente cooperou com sol e céu limpo. Protegidos entre as ilhas o mar quase não balança, o que também facilitou bastante nossa vida e nosso sono. Outros dois dias assim nos esperam, apenas com pequenas navegações para outros dois pontos de ancoragem, onde vamos conhecer mais um punhado de ilhotas que compõem esse cenário encantado da costa caribenha do Panamá.

Nosso primeiro fim de tarde no arquipélago de San Blás, na costa do Panamá

Nosso primeiro fim de tarde no arquipélago de San Blás, na costa do Panamá

Panamá, San Blás, ilha, barco

Veja todas as fotos do dia!

Participe da nossa viagem, comente!

Post anterior Feliz com o início da viagem de veleiro de Cartagena, na Colômbia, até o Panamá

Enfim, Rumo ao Panamá!

Post seguinte Muito sol e mar esverdeado no nosso segundo dia no arquipélago de San Blás, na costa do Panamá

San Blás

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet