0 Chegando à América Central - Blog do Rodrigo - 1000 dias

Chegando à América Central - Blog do Rodrigo - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

Arquitetura Bichos cachoeira Caverna cidade Estrada história Lago Mergulho Montanha Parque Patagônia Praia trilha vulcão

paises

Alaska Anguila Antártida Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Falkland Galápagos Geórgia Do Sul Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Islândia Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Uruguai Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Rio De Janeiro Há 2 anos: Rio De Janeiro

Chegando à América Central

Panamá, Portobelo, Colón

Chegando em Portobelo, no Panamá

Chegando em Portobelo, no Panamá


A navegação dessa noite foi bem mais tranquila que das duas primeiras noites no percurso entre Cartagena e San Blás. A combinação de mar calmo, o que significa pouco balanço, e ausência de chuvas, o que quer dizer janela aberta e vento fresco, resultou numa noite bem dormida. Quando acordamos, lá estava a pequena cidade de Portobelo, onde colocaríamos nossos pés pela primeira vez na América Central continental. Uma nova etapa da nossa jornada pelas américas se iniciaria hoje. Viva!

Veleiros na baía de Portobelo, no Panamá

Veleiros na baía de Portobelo, no Panamá


Portobelo, hoje uma tranquila vila à beira mar, teve um passado glorioso e trágico. Por mais de cem anos, foi o principal porto espanhol na região do Caribe. Todos os tesouros obtidos no Peru eram enviados por mar (Oceano Pacífico) até a Cidade do Panamá. De lá, por terra, cruzavam o istmo até a cidade de Portobelo, onde eram embarcados novamente rumo à Europa.

A Glória, a nossa grande cozinheira nesses 5 dias no barco de Cartagena à Portobelo, no Panamá

A Glória, a nossa grande cozinheira nesses 5 dias no barco de Cartagena à Portobelo, no Panamá


Tantas riquezas assim atraíam a cobiça de piratas. Um dos mais famosos, o inglês Francis Drake, atacou essa caravana do ouro em 1573, junto com outro pirata francês. Esse acabou capturado e morto pelos espanhóis, mas Drake conseguiu escapar com uma boa parte do tesouro roubado (do qual, muito ficou enterrado em algum local desconhecido, na selva). Antes de partir, Drake ainda escalou as montanhas e, de cima de uma árvore, se tornou o primeiro inglês a avistar o Oceano Pacífico. Anos depois, realizaria a terceira circunavegação do mundo. Mas, voltando à Portobelo, depois desse incidente, os espanhóis começaram a enviar seus tesouros por outras rotas também, diminuindo a importância da cidade. O golpe final veio em meados do séc XVIII, quando uma frota inglesa destruiu completamente a cidade, antes de seguir em direção à Cartagena, com o intuito de conquistá-la. O objetivo era "bagunçar" completamente as rotas de comércio espanholas. Como escrevi num post de Cartagena, os ingleses não conseguiram conquistar a cidade na Colômbia, mas de Portobelo não restou muita coisa. As ruínas das fortalezas espanholas foram utilizadas posteriormente na construção do Canal do Panamá e hoje a vila é um lugar tranquilo e com casas de panamenhos ricos ao redor da bela baía.

O catalão Marc, capitão que nos levou com segurança de Cartagena à Portobelo, no Panamá

O catalão Marc, capitão que nos levou com segurança de Cartagena à Portobelo, no Panamá


Nós ainda tomamos um último café da manhã no barco e, logo depois das nove da manhã, quando abria o escritório, já estávamos fazendo a nossa imigração. A Ana deixou de ser brasileira e assumiu seu lado italiano. Mais fácil ser européia daqui para frente, para entrar nos EUA e Canadá. Eu, brasileiro convicto, já estou com todos os vistos necessários, hehehe.

Fim de travessia, chegando à Portobelo, no Panamá

Fim de travessia, chegando à Portobelo, no Panamá


Bom, devidamente legalizados no país, o negócio agora é resgatar a Fiona. Despedimo-nos do Marc, do Johan e da Glória e seguimos com os australianos e o alemão para Colón. A viagem foi num daqueles ônibus típicos de filmes de Hollywood retratando repúblicas cucarachas obscuras, todo colorido e com cara de caminhão. Uma hora e pouco de viagem e estávamos no coração de uma das mais perigosas cidades das américas, pelo menos na fama.

Manhã do 5o dia no barco, chegando à Portobelo, no Panamá

Manhã do 5o dia no barco, chegando à Portobelo, no Panamá


Os nossos companheiros nem saíram da rodoviária e já seguiram para a capital, Cidade do Panamá. Já eu e a Ana, ainda no espírito aventureiro, seguimos à pé para nosso hotel, sete quadras distante dali, o Carlton. Conforme previsto, nenhum problema nas ruas e logo estávamos muito bem instalados.

Passageiros e tripulantes do Licka, o veleiro que nos levou de Cartagena à Portobelo, no Panamá

Passageiros e tripulantes do Licka, o veleiro que nos levou de Cartagena à Portobelo, no Panamá


Aí, depois de um muito merecido banho de água doce, começou a operação Fiona. Corrida contra o relógio, para não ter de esperar até terça, já que segunda é feriado nacional no Panamá. De táxi, fomos até o gigantesco porto de Manzanillo. Primeira parada, o escritório da Wallenius, a empresa do navio. Ai, que saudade da Naves, lá de Cartagena. Aqui os caras não sabem de nada. Paguei o que tinha de pagar, mas eles não souberam dizer o que eu deveria fazer depois, fora um vago "tem de ir na Aduana"...

Viagem de ônibus entre Portobelo e Colón, no Panamá

Viagem de ônibus entre Portobelo e Colón, no Panamá


Lá fomos nós para descobrir que tínhamos de ir na administração, muitos quilômetros adiante. Um táxi lá é fundamental, pois andar por aquela vizinhança não é nada agradável. Na administração, novas surpresas: primeiro, que eu precisava de um seguro para poder retirar o carro. Segundo, que eles fechariam às quatro para só abrir na terça, e já eram 15:30. Seguro, só na cidade. Diante da minha cara de decepção total, a simpática Maria me disse que viria amanhã, sábado, às 10:00, só para me ajudar.

Paisagem na viagem entre Portobelo e Colón, no Panamá

Paisagem na viagem entre Portobelo e Colón, no Panamá


Bom, corremos para a Plaza Millenium, na cidade, para conseguir o seguro. Com uma certa dificuldade, encontramos uma seguradora e, com 15 dólares, estamos segurados por um mês aqui no Panamá. Agora, de posse desse documento e de muitas cópias de passaporte, certificado de propriedade e da própria apólice, estou pronto para a corrida de amanhã. Preciso passar por todas as burocracias restantes (não sei quantas ainda...) até o meio-dia, prazo final para retirada do carro num sábado. Que Deus nos ajude!!!

A Ana espera no táxi enquanto eu percorro os meandros da burocracia panamenha para tentar retirar a Fiona do porto, em Colón

A Ana espera no táxi enquanto eu percorro os meandros da burocracia panamenha para tentar retirar a Fiona do porto, em Colón


Enquanto amanhã não chega, refugiamo-nos no hotel, pois agora de tarde a nossa vizinhança realmente ficou com uma cara mais amedrontadora. Felizmente, temos internet, cama limpa e chuveiro quente. Dedos cruzados à partir de agora! O plano B é ir passar o fim de semana na capital, de ônibus mesmo, e regressar na terça. Mas temos fé mesmo é no plano A, sair daqui amanhã à bordo da nossa fiel companheira!

Panamá, Portobelo, Colón, barco

Veja todas as fotos do dia!

Comentar não custa nada, clica aí vai!

Post anterior Muito sol e mar esverdeado no nosso segundo dia no arquipélago de San Blás, na costa do Panamá

San Blás

Post seguinte O feliz reencontro com a Fiona no porto de Manzanillo (Colón), no Panamá

Motorizados Novamente!

Blog da Ana A Ana espera no táxi enquanto eu percorro os meandros da burocracia panamenha para tentar retirar a Fiona do porto, em Colón

Colón

Comentários (0)

Participe da nossa viagem, comente!
Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet