0 Aventureiros se atraem - Blog da Ana - 1000 dias

Aventureiros se atraem - Blog da Ana - 1000 dias

A viagem
  • Traduzir em português
  • Translate into English (automatic)
  • Traducir al español (automático)
  • Tradurre in italiano (automatico)
  • Traduire en français (automatique)
  • Übersetzen ins Deutsche (automatisch)
  • Hon'yaku ni nihongo (jidö)

lugares

tags

arqueologia cachoeira Caribe cidade histórica Estrada mar Mergulho Montanha parque nacional Praia Rio roteiro Trekking trilha

paises

Alaska Anguila Antígua E Barbuda Argentina Aruba Bahamas Barbados Belize Bermuda Bolívia Bonaire Brasil Canadá Chile Colômbia Costa Rica Cuba Curaçao Dominica El Salvador Equador Estados Unidos Galápagos Granada Groelândia Guadalupe Guatemala Guiana Guiana Francesa Haiti Hawaii Honduras Ilha De Pascoa Ilhas Caiman Ilhas Virgens Americanas Ilhas Virgens Britânicas Jamaica Martinica México Montserrat Nicarágua Panamá Paraguai Peru Porto Rico República Dominicana Saba Saint Barth Saint Kitts E Neves Saint Martin San Eustatius Santa Lúcia São Vicente E Granadinas Sint Maarten Suriname Trinidad e Tobago Turks e Caicos Venezuela

arquivo

SHUFFLE Há 1 ano: Há 2 anos:

Aventureiros se atraem

Ilhas Virgens Britânicas, Tortola - Road Town

Jim, o inglês que cresceu no Quenia, trabalhou na Antátrtida e vive em BVI

Jim, o inglês que cresceu no Quenia, trabalhou na Antátrtida e vive em BVI


Ontem subindo a Sage Moutain, maior pico aqui das BVIs com aproximadamente 543m, passamos pelo Sage Mountain Restaurant. A guarda do parque nos avisou que a portaria e o restaurante fechariam às 15h, mas retornando da caminhada encontramos Jim, o dono, na porta. O Rodrigo logo o abordou perguntando se poderia nos vender uma cerveja, super solícito Jim abriu as portas, para o que só depois saberíamos, seria a nossa experiência mais mágica aqui nas Virgin Islands.

Começamos a conversar com ele sobre a ilha e como havia vindo parar aqui. Jim é britânico, criado no Quênia e aprendeu a falar swahili antes do inglês. Serviu a marinha inglesa durante 9 anos, passando pela Georgia do Sul, Falklands e até o Rio de Janeiro. Em reserva, escapou por pouco da Guerra das Malvinas! Em 1975 foi morar na estação de pesquisa britânica na Antártida, trabalhando como cozinheiro por 2 anos e meio! Surreal! Jim tem uma visão do mundo muito interessante, do alto dos seus 61 anos conhece como o mundo funciona e é um critico acirrado da postura adotada pelos norte-americanos, desde os turistas até os seus governantes. É, sem dúvida, um personagem interessantíssimo!

Saímos do seu restaurante com um jantar marcado para a noite seguinte, o menu? Carne com molho de pêssego ao vinho do porto, batatas e legumes, prato que ele desenvolveu e aprimorou na sua estadia no continente gelado. No dia seguinte lá estávamos nós, prontos para conhecer mais um pouco desta figura, afinal o jantar era apenas a desculpa da noite. Huuummm e que desculpa! Jim nos serviu um merlot chileno, salada e o prato principal, sua especialidade, estava delicioso! Um jantar super VIP, pois o restaurante abriu apenas para nós e mais uma surpresa: empolgado com a nossa história e projeto, Jim decidiu fazer um slide show com as suas fotos da Antártida! Foram quase 2 horas de fotos e histórias contando cada detalhe sobre a rotina dos cientistas e do staff na base inglesa. A sessão de slides mostrou a rotina durante um ano inteiro. As atividades no verão e as aventuras de cruzar um mar todo congelado no inverno para subir um dos picos mais altos a 5km da base.

Jim, o inglês que cresceu no Quenia, trabalhou na Antátrtida e vive em BVI

Jim, o inglês que cresceu no Quenia, trabalhou na Antátrtida e vive em BVI


Antes essa apresentação era feita no restaurante semanalmente, mas Jim não mostrava esses slides para ninguém há mais de 4 anos! Não é maluco como encontramos as pessoas? É a segunda vez que chegando a um estabelecimento “fechado” as portas se abrem e encontramos ali alguém especial. Sara e Daniel em Middle Caicos e agora o Jim. Dizem que os opostos de atraem, já eu sempre achei o contrário e cada vez mais tenho certeza. Se você olhar de perto, o que nos atraiu não é o mais óbvio, mas sim a paixão pela liberdade. O mesmo espírito aventureiro ainda louco para encontrar alguém com quem eles possam compartilhar as suas aventuras e a mesma liberdade de outrora.

Apresentação de slides da Antátida, pelo Jim

Apresentação de slides da Antátida, pelo Jim

Ilhas Virgens Britânicas, Tortola - Road Town, British Virgin Islands, BVIs

Veja mais posts sobre British Virgin Islands

Veja todas as fotos do dia!

Faz um bem danado receber seus comentários!

Post anterior Vista de Tortola, em BVI, do alto das montanhas

God save the Queen!

Post seguinte Visão de Road Bay, em Tortola - BVI

We´ll be diving

Blog do Rodrigo Barco a caminho do naufrágio do Rhone

Rhone

Comentários (2)

Participe da nossa viagem, comente!
  • 29/01/2011 | 08:10 por clenilça alves da silva(cleo)

    olha eu aqui de novo! achei a história do aventureiro fantastico ,como a gente cresce em conhecimento quando encontra pessoas com grande espirito aventureiro e enteligente ,fantastico !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

    Resposta:
    Nem me fale, vemos que isso vem de longe, é algo que o ser humano carrega desde o início dos tempos! Graças a estes antigos aventureiros o mundo foi populado e continentes foram descobertos. Qual será a nossa contribuição como aventureiros modernos? Vamos descobrindo no caminho. Beijos!

  • 07/05/2010 | 00:25 por mario sergio silveira

    Oi filha tudo bem com vc? Parece que vc está mais magra. Vida dura né? Beijos

    Resposta:
    Mais magra? rsrsrs, ilusão de ótica pai! Daqui a pouco estamos voltando buscar a Fiona! =)
    Beijooos

Blog da Ana Blog da Rodrigo Vídeos Esportes Soy Loco A Viagem Parceiros Contato

2012. Todos os direitos reservados. Layout por Binworks. Desenvolvimento e manutenção do site por Race Internet